Logística reversa: você sabe como funciona?

18/05/2022

Você certamente já ouviu falar em logística reversa, conceito que tem ganhado cada vez mais força no mercado mundial – especialmente no setor industrial e de transporte de mercadorias. 

Em um cenário cada vez mais globalizado e competitivo, manter o equilíbrio entre a atividade empresarial e o meio ambiente é essencial para garantir a perenidade dos negócios e o desenvolvimento sustentável. Daí a importância de políticas públicas e empresariais de logística reversa. 

 

Mas, afinal, o que é a logística reversa? 

Na prática, o termo se refere a um conjunto de soluções que visam evitar diversas formas de poluição. O motivo é simples: com o aumento do consumo nos últimos anos, e a consequente geração de resíduos sólidos urbanos, o gerenciamento do lixo descartado se tornou um problema – e alvo de debates. 

Na mesma linha, vieram assuntos relacionados ao desperdício de resíduos passíveis de reutilização, reciclagem ou reaproveitamento, que eram constantemente depositados em aterros sanitários.

 

Como funciona a logística reversa?

Embora o termo seja utilizado desde a década de 1990, quando as empresas passaram a se preocupar com o impacto de suas ações no meio ambiente, foi apenas com a recente criação da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) que o assunto se popularizou de fato.

Atualmente, os processos de logística reversa podem ser implementados em diferentes situações. Produtos danificados que são devolvidos ao fabricante ou pedidos incorretos que retornam ao distribuidor são alguns dos exemplos mais comuns de nosso dia a dia que ilustram bem como funciona a operação.

 

Etapas do processo de logística reversa

logistica-reversa-como-funciona

Em linhas gerais, a logística reversa é dividida em três etapas:

  • Na primeira, o consumidor devolve o produto ao distribuidor ou comerciante;
  • Na segunda etapa, o comerciante encaminha a embalagem recebida ao fabricante ou importador que, por sua vez,
  • Destina o item recebido corretamente, para que ele possa ser reutilizado, reciclado ou, ainda, que tenha o descarte adequado de acordo com o seu material.

 

Papel das transportadoras na logística reversa

Eficiente e necessária, a logística reversa favorece a otimização dos processos, com um potencial enorme de redução de custos. É inegável, no entanto, que, para que seja funcional, a cadeia de suprimentos deve ser adaptada para processar o retorno dos pedidos até os fabricantes ou distribuidores. 

E é aí que entram as transportadoras. Do ponto de vista comercial, cada companhia tem suas características e processos de logística reversa, considerando clientes, rotas e viagens. 

LEIA MAIS: PME no setor logístico: quais os desafios?

Há quem trabalhe com recolhimento de embalagens e quem prefira disponibilizar pontos de coleta ou manter parcerias com cooperativas, por exemplo.

Na prática, uma boa forma de aumentar a eficiência é por meio da criação de uma rota específica e centralizar a gestão da logística de distribuição e a logística reversa em um único lugar – uma única empresa.

Com isso, é possível organizar as rotas e designar um veículo específico para a coleta dos materiais descartados em datas determinadas. 

Isso inclui, também, um investimento em tecnologia para otimizar a estratégia com ferramentas de controle eficientes e que agilizem os processos.

Este recurso vem de Instituições de Pagamento Eletrônico de Frete (IPFEs) a exemplo da PagBem, que oferece soluções bem interessantes tanto para as transportadoras que possuem frota própria quanto para as que conta com frota terceirizada.

Além de suporte completo para a gestão de despesas, a PagBem conta com opções de gestão de cartão-frete e de vale-pedágio, oferecendo mais segurança e organização para os motoristas de caminhão.

Como pudemos observar, as possibilidades são inúmeras, mas para otimizar o processo de coleta, é importante que todas as etapas estejam bem alinhadas entre empresa e transportadoras. 

LEIA TAMBÉM: Dicas para fazer um planejamento estratégico em transportadoras

 

Reduza custos com as soluções da PagBem

Criada em 2015, a PagBem administra fretes e pedágios por meio de uma rede credenciada ampla que atinge diferentes partes do país.

Com a missão de facilitar a administração de frete rodoviário e pedágio, a PagBem oferece soluções financeiras, tecnológicas e de pagamento para toda a cadeia envolvida no transporte, envolvendo caminhoneiros, transportadoras, operadores logísticos e embarcadores.

Para conhecer melhor todas as soluções da PagBem, entre em contato conosco.

 

Posts recentes

Cuidados no transporte de cimento

Cuidados no transporte de cimento

O transporte de cimento exige uma série de cuidados. Do volume transportado ao tipo de caminhão e rota escolhida, todas as etapas devem ser bem planejadas para garantir uma entrega de qualidade. Afinal, esta não é uma carga comum: além de tóxica, ela deve ser mantida...

Como aplicar o compliance no transporte rodoviário?

Como aplicar o compliance no transporte rodoviário?

Você certamente já ouviu falar em compliance, termo que se popularizou e tem ganhado cada vez mais destaque no mercado nos últimos anos. Embora seja pequena, a palavra, que não fazia parte do dia a dia de todos os segmentos, agora é mandatória para quem deseja se...

Veja os custos logísticos que impactam o dia a dia das transportadoras

Veja os custos logísticos que impactam o dia a dia das transportadoras

Embora o transporte de cargas seja o principal modal do Brasil, os custos logísticos inerentes ao processo ainda são altos e podem impactar diretamente o consumidor final. Atualmente, cerca de 65% das cargas do Brasil passam por rodovias, de acordo com o Relatório...

Receba nosso conteudo em primeira mão.

For security verification, please enter any random two digit number. For example: 61