As três datas comemorativas do Dia dos Caminhoneiros

Feliz dia do caminhoneiro! Comemore e entenda o porquê são três datas.

No Brasil, essa data é tão especial e importante que é comemorada em três dias diferentes, 30 de junho, 25 de julho e 16 de setembro. Mas você sabe o motivo? Elas surgiram por razões diferentes e a seguir vamos explicar melhor cada uma.

O dia 30 de junho é comemorado em São Paulo, pois em 1986, o governador do estado Franco Montoro, assinou uma lei que colocou o dia trinta como sendo o Dia do Caminhoneiro, ou seja, é uma data regional.

Na data de 25 de julho é comemorado o dia de São Cristóvão, padroeiro dos motoristas.  A mais importante, a mais lembrada e a mais antiga, sendo celebrada desde o século XV. 

A última comemoração é em 16 de setembro, definida em 2009 como Dia Nacional do Caminhoneiro. Apesar de 16 de setembro ser a data oficial, é em 25 de julho que mais se comemora.

Profissionais dedicados, os caminhoneiros passam longos períodos longe de suas famílias, garantindo seu sustento e fazendo com que o país siga funcionando. A profissão é muito especial e por isso merece ser comemorada e lembrada por todos nas três datas diferentes.

Aproveite todas elas! E conte conosco em soluções para facilitar o seu dia.

As melhores Festas Juninas do Nordeste

As melhores Festas Juninas do Nordeste

No mês de Junho, os viajantes da estrada também poderão comemorar a Festa Junina

Junho chegou e com ele uma das épocas mais amadas por nós brasileiros, a Festa Junina! Celebrada no Brasil desde pelo menos o século XVII, as Festas Juninas constituem a segunda maior comemoração realizada pelos brasileiros, ficando atrás apenas do Carnaval. Atualmente, há uma grande valorização das festas juninas na região Nordeste, em Campina Grande, na Paraíba, por exemplo, acontece o maior festejo do país, com queima de fogos, fogueira gigante, concurso de quadrilhas e diversas barracas típicas com jogos e comidas. E você, amigo e amiga da estrada, não poderia ficar de fora dessa festa tão importante, certo? Mesmo na estando na estrada, vamos te ajudar a comemorar da melhor maneira possível!

Acesse este link para conhecer as melhores Festas Juninas do Nordeste:
As melhores Festas Juninas do Nordeste

Boas festas, caminhoneiros e caminhoneiras!

 

O que mudou, após um ano da Greve dos Caminhoneiros?

O que mudou, após um ano da Greve dos Caminhoneiros?

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros, José da Fonseca Lopes, a situação dos caminhoneiros só piorou após a greve.

Vias bloqueadas, falta de suprimento nas prateleiras dos supermercados, postos de combustíveis desabastecidos e uma redução de quase R$ 48 bilhões* no Produto Interno Bruto (PIB) de 2018, essas foram algumas consequências da greve histórica que parou o país há um ano, quando os caminhoneiros se mobilizaram e cruzaram os braços por conta da escalada do preço do óleo diesel, cuja política da Petrobrás previa aumentos semanais.

A greve se estendeu por dez dias e diante de conversas, reuniões, manifestações e promessas até que o Congresso aprovou uma tabela com valores mínimos para o frete de cargas no país e reduziu o preço do diesel em R$ 0,46 a partir de julho de 2018 de maneira que conseguisse acalmar os ânimos e recolocar o caminhoneiro na estrada. E após o subsídio, a greve teve seu fim.

Agora, um ano depois, apesar de tudo que foi prometido, a situação parece não ter melhorado. Após o fim do subsídio em dezembro, o diesel voltou a subir e, na semana passada, já havia superado o preço médio de maio de 2018, e como se já não bastasse, a tabela do preço mínimo do frete também não funciona adequadamente.

Nos últimos meses, o novo governo segue tentando manter as coisas em ordem já que em Abril deste ano, movido à rumores de paralisação, que novamente traria prejuízos desastrosos ao país, foi anunciado uma linha de crédito de R$ 500 milhões para a categoria, na qual cada caminhoneiro teria acesso a um financiamento de até R$ 30 mil para manutenção dos veículos e compra de pneus, por exemplo.

O presidente da Associação Brasileira de Caminhoneiros, José da Fonseca Lopes, disse em audiência na Comissão de Viação e Transportes, na Câmara dos Deputadosque a situação dos caminhoneiros só piorou após a greve. Para ele, o sindicato foi o responsável pela redução no preço do diesel e está lutando para que o preço do combustível tenha uma nova queda. Apesar disso, parte dos trabalhadores e caminhoneiros do sindicato esperam resolver isso de outra maneira, pois muitos deles alegam não ter mais condições financeiras para parar novamente.

*Informações obtidas pelo site da Câmara dos Deputados e pelo site EXAME.

Close Bitnami banner
Bitnami